terça-feira, 18 de novembro de 2008

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

After the end

Esa persona que (des)conozco e y me (des)conoce,
por qué se retrasa tanto
déjandome en la soledade de la calle?

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

The end


-4-
Envidio a los que duermen,
Por las muchas riquezas que hay entre sus ojos.

-22-
Esa persona que desconozco e y me desconoce,

por qué se retrasa tanto
déjandome en la soledade de la calle?



Poema procedente del libro Naq al-Amal (Crítica à la Esperanza), Beirut 1995 poesiaarabe.com



terça-feira, 22 de abril de 2008

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Peregrinação




O deserto é sempre um local de passagem e não de morada definitiva.

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Aniversário



(...)

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

(...)
Álvaro de Campos

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Posso fumar?

Lei n.º 37/2007
de 14 de Agosto

Aprova normas para a protecção dos cidadãos da exposição involuntária ao fumo do tabaco e medidas de redução da procura relacionadas com a dependência e a cessação do seu consumo.

Artigo 4.º
Proibição de fumar em determinados locais

1 — É proibido fumar:

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

2008

Libera me

Livrai-me, Senhor,
De tudo o que for
Vazio de amor.

Que nunca me espere
Quem bem me não quer
(Homem ou mulher).

Livrai-me também
De quem me detém
E graça não tem.

E mais de quem não
Possui nem um grão
De imaginação.

Carlos Queiroz, in Antologia pessoal de poesia portuguesa, Eugénio de Andrade, ed. Campo das Letras.